COISA MAL RESOLVIDA

Tá na missa sem ver o padre
Numa conversa sem medida
Com o pensamento lá, longe
Não ouve a rica homília.
Foi pra missa, mas, não está lá
De forma participativa
Perde a chance de crescer
Isso é coisa mal resolvida.

A moça que escolhe muito
Faz exigências descabidas
Não vê virtudes em ninguém
Quer ser na vida uma ilha
Termina perdendo o trem
Bem na hora da partida
Finda pegando um cabra chato
Isso é coisa mal resolvida.

Empresário na ponta do lápis
Fazendo as contas partidas
Procurando achar o lucro
É uma luta aguerrida
Enquanto os banqueiros na festa
Dos juros a cada subida
Banqueiros mandando no mundo
Isso é coisa mal resolvida.

Um sapato menor que o pé
Apertado um calo das antigas
Vizinho a uma unha cravada
Andando na procissão comprida
A dor atrapalha a oração
A concentração está dividida
É coisa que acontece
Isso é coisa mal resolvida.

A escola faz de conta que ensina
O aluno faz de conta que aprende
O livro na solidão
Esperando a sua visita
Ele quer ser sábio, saber de tudo
Mas, não ama a sabedoria
Sabedoria ficando distante
Isso é coisa mal resolvida.

Suvaqueira, chulé a mal hálito
São três coisas mal queridas
Quem tem não sabe que tem
Se sabe, é pessoa fingida.
Escovar a língua, desodorante,
Tomar banho pra ficar limpa
Andar elegante, perfumado
Isso é uma coisa bem resolvida.

Um orçamento estourado
A despesa sempre na subida
Quer ampliar as receitas
Mas, fica parado, não dá partida
Só fica se lastimando
Não faz mudanças na vida.
A natureza muda, e eu não mudo
Isso é coisa mal resolvida.

A mágoa dentro do peito
De uma raiva, é uma ferida
Só se cura com o perdão
Uma atitude divina
Guardar rancor, adoece
Maltrata a saúde bendita
Guarda lembranças do mal
Isso é coisa mal resolvida.

Farofeiros invadem a praia
Com farofa e galinha cozida
Um som brabo nas alturas
Ignorando as suas vizinhas.
Um consumista do fumo
Soltando fumaça nas narinas
Incomodando todo mundo
Isso é coisa mal resolvida.

Uma adulta impaciente
Com as crianças intertidas
Quer botar ordem na casa
Grita estressada aborrecida
Não enxerga que estão felizes
São imagens de Deus na vida
Não ser pura como as crianças
Isso é coisa mal resolvida.

Uma prisão de ventre danada
Com nó nas tripas, obstruídas
Já tomou laxante e mamão
No mal humor, estarrecida
Andando pra cima e pra baixo
É uma doença vermicida
Enquanto não liberar tudo
Isso é coisa mal resolvida.

Barriga inchada incomodando
Comida velha, mal cozida
Boto o dedo na garganta?
Vomita, ou não vomita? Decida.
Uma comida indesejada
Faz mal pra nossa barriga
Quando se guarda o que não presta
Isso é coisa mal resolvida.

Uma relação quente e amorosa
No meio da noite interrompida
A filha pedindo consolo
Gritando no berço, aborrecida.
Tem que desarmar todo o circo
Adiar o jogo pra nova partida
Essa coisa requer paciência
Isso é coisa mal resolvida.

Dor de dente na madrugada,
Uma topada na esquina,
Um escorregão na escada,
A panela de pressão fervendo
Cozinheira no portão entertida,
É explosão garantida
Viver falando da vida alheia
Isso é coisa mal resolvida.

Uma parede rachada.
A senha do banco esquecida.
O xixi escorrendo nas calças.
A chave do carro perdida.
O noivo esquecido no altar.
Uma idosa não assistida.
Crianças pobres no sinal.
São coisas mal resolvidas.

Levar um fora na festa
De uma moça metida a sabida
Ele sai com a cara mexendo
Com a cabeça recaída
Ela passa a noite sozinha
Infeliz e indefinida
Perdeu a festa, não aproveitou
Isso é coisa mal resolvida.

A cueca furada na frente.
O zíper prendendo na pele lisa.
Uma tosse que não se acaba.
A coluna bem doida.
Um escorregão na calçada.
O tiro de uma bala perdida.
Parece coisa de outro mundo
Isso é coisa mal resolvida.

Uma goteira no telhado.
Peça esquecida dentro da cirurgia.
Pingo d’água na torneira.
O cego sem o seu guia.
Uma caneta sem tinta.
O medo sem medida.
São coisas da nossa vida
São coisas mal resolvidas.

Quer mexer no que é dos outros.
Quer ser rico sem a lida.
Não trabalha, não estuda,
Só faz a coisa invertida.
Não constrói habilidades.
Leva o coice da vaca parida.
Esperar cair do céu
Isso é coisa mal resolvida.

 

Solteirão, rico e avarento
Não abre a mão, não partilha
Não namora com ninguém
Vive numa solidão indevida
Não quer noivar nem casar
Não quer sua fortuna repartida
Vai levar tudo no caixão
Isso é coisa mal resolvida.

Um gol contra do artilheiro
No ultimo minuto da partida
Invertendo o resultado
Tirando a vitoria garantida
Muda o líder do campeonato
Enlouquecendo a torcida
Isso eu já vi acontecer
Isso é coisa mal resolvida.

Se abraçar com porco espinho.
Fumar o cigarro apagado.
Escutar o que não devia.
Andar correndo no escuro.
Um espirro no meio da sinfonia.
Externar uma paixão recolhida.
Uma letra sem melodia.
Isso é coisa mal resolvida.

Um jogador de futebol
Tem uma coisa parecida
Seu auge é aos 30 anos
É igual a mulher da vida
É jovem, fogosa e ligeira
Faz das bolas as preferidas
Ter que aproveitar tudo na carreira
Isso é coisa mal resolvida.

Cruzar um sinal fechado.
Uma noite mal dormida.
Comida que lhe faz mal.
Uma promessa não cumprida.
Bateria sem arranco.
Dirigir com a carteira vencida.
Uma barriga roncando .
Isso é coisa mal resolvida.

Vigia sonhando de noite.
Um rapaz apaixonado
Feito manteiga derretida.
Uma gripe mal curada.
Uma culpa não assumida.
A conta não paga no banco.
Pneu careca na lona.
Isso é coisa mal resolvida.

É o cheque que bate e volta,
Numa ansiedade maldita.
É um jovem tomando banho
Numa solidão benigna
Gastando a água do mundo
Num prazer que o deixa abatido
Isso é coisa da juventude
Isso é coisa mal resolvida.

Um bêbado chato e valente
Numa conversa repetida
Fala cuspindo na gente
Grita, abre os braços e convida
Num abraço pegajoso
Você, em posição imerecida
Chora e ri ao mesmo tempo
Isso é coisa mal resolvida.

Uma paixão pelo manequim da loja
De braços abertos na vitrina
É lindo, elegante e perfeito
Não reclama, não dá mexidas
Ela paquera com ele e sofre
É paixão não correspondida
Vai viver toda a vida nesse sonho
Isso é coisa mal resolvida.

Está comendo demais,
Gula, olho grande na comida
Não sente o sabor do feijão
Não saboreia, não mastiga
Só olhando o prato do outro
Nada satisfaz o consumista
Esta falta de educação
Isso é coisa mal resolvida.

É a seca do nosso nordeste
Verdade que virou mentira
De baixo do chão a água escuta a conversa
Não sabem ir buscar a cristalina
Israel já planta no deserto
Lá era terra esturriquida
Muitos não amam nosso povo
Isso é a coisa mais descabida.

É o buraco da prefeitura
Escancarado na avenida.
É o esgoto aberto sem tampa
De um governo sem medida
Causando desconforto a todos
Administração descomprometida.
A metade do salário é imposto
Isso é coisa mal resolvida.

Uma dentadura que dança
Folgada na boca, e partida
Num sobe e desse danado
Parecendo que mastiga
Parece um divertimento
Um tique, uma ação repetida.
Enquanto não voltar ao protético
Isso é coisa mal resolvida.

Um processo engavetado
Numa burocracia bandida.
Os pais procurando no shopping
Uma criança que está perdida.
Alguem que não votou na ultima eleição
Se diz eleitora arrependida.
São coisas que mexem com a gente
São coisas mal resolvidas.

Levar um bofete de graça
Quando vai apartar uma briga
Sem ter nada com as ofensas
Se meteu no meio da intriga
Quem se mete onde não é chamado
Em briga de casal remexida
Sai sozinho e machucado
Isso é coisa mal resolvida.

Só fala mal, reclamando
Não vê nada lindo no dia
Não vê as flores se abrindo
Perfumando a beleza da vida
Pessimista o tempo todo
A língua é uma navalha ferina
Ser fofoqueiro profissional
Isso é coisa mal resolvida.

Só viver procurando Deus
Durante toda a sua vida
Não sente dentro do peito
No coração, 1000 batidas
É surdo, cego, insensível
Dentro dele Deus faz guarida
Lhe deu todos os poderes
Perde tempo, não faz investidas.

Você é um produto perfeito
Formado pela natureza amiga.
São bilhões de células circulando
Num vai e vem de rotina.
Vivem só pra ajudar as outras
Mostrando fraternidade na vida.
Devemos nos amar como as células
Isso é uma coisa bem resolvida.

Leôncio Queiroz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *